CALCULE O ÍNDICE DE FUMAÇA DAQUILO QUE VOCÊ COMUNICA – ESCREVER UM DOCUMENTO IMPORTANTE COSTUMA SER UM SOFRIMENTO PARA MUITAS PESSOAS – PARA REDUZIR O MEDO E A TENSÃO AO ESCREVER SIGA ESSAS DICAS INTELIGENTES PARA SE COMUNICAR COM IMPACTO:


ESCREVER É A ARTE DE CORTAR PALAVRAS E DEPOIS CORTAR MAIS PALAVRAS E ASSIM SUCESSIVAMENTE.

Frase Inspiradora do dia – sempre repetida por um amigo obcecado por escrita e leitura.


Para ilustrar esse post, escolhi a obra de arte, o quadro, a pintura

de Edward Hopper – Quarto no Brooklyn -1932 – óleo sobre tela

Hooper era tido como um sujeito de grande cultura que mesclava com maestria seu lado realista com seu lado idealista.

Ele era leitor voraz das obras de Freud, principalmente quando ia à procura do entendimento do subconsciente.

Na opinião dele, era o subconsciente que o guiava para definir o que ele ia colocar numa pintura.

Essa pintura faz parte de uma série onde ele, como pintor, procurava revelar a alma e do jeito de ser das pessoas, principalmente os americanos de sua época.

Percebam os detalhes desta obra = a luminosidade e a ocupação do espaço,  como ele as combina para dar a sensação de solidão da jovem mulher, voltada para uma janela virada para uma paisagem morna e sem graça.

Ele sugere que a gente se intrigue com a razão que leva a mulher a estar ali sentada daquele jeito.

Eu admiro e aprecio obras de arte, principalmente as boas pinturas, porque elas são uma forma de expressão de desejos, pensamentos e sentimentos sem usar uma só palavra, só imagens.


Muitos profissionais pelo mundo inteiro hesitam em colocar os seus pensamentos por escrito.

Às vezes, simplesmente por não se considerarem exímios escritores.

Mesmo assim, seja ao escrever uma carta, um e-mail, um memorando ou um relatório, a observância de algumas regras simples pode fazer de você um comunicador eficiente no papel.


Recomendações Básicas para escrever bem e com impacto :

    • Mantenha curtas as suas sentenças.

    • Use de oito a quatorze palavras em média.

    • As idéias devem ser relatadas em não mais do que duas orações.

    • Por exemplo, “Uma vez que o orçamento está apertado, decidi eliminar todos os seminários externos.”

    • Use verbos ativos.

    • As pessoas gostam de palavras de ação, e de sentenças que impliquem em assumir responsabilidade:

    • “Eu mostrei a ele o escritório,” é preferível a “O escritório foi mostrado a ele por mim.”

    • É claro que você pode ocasionalmente usar a voz passiva para variar.

    • Mas quando você quiser se mostrar numa posição ativa, responsável, use a voz ativa.

    • Atenha-se a palavras de uso comum.

    • O português é uma linguagem incrivelmente rica, com várias palavras para cada significado.

    • E, toleravelmente, é divertido aparecer.

    • Mas se você usar uma palavra que não é conhecida, você desinteressará o leitor.

    • Pode ser impressionante para você dizer “soporífero” ao invés de “tedioso”, mas quando você disser “tedioso” ninguém deixará de entender ou se ressentirá com você.

    • O significado é claro para todos.

    • Use parágrafos curtos com chamadas fortes e claras,

    • Por exemplo: “Existem pelo menos quatro razões pelas quais eu acho que nós deveríamos revisar o nosso sistema de compensação.”

    • E daí você segue com as quatro razões.

    • Quantas sentenças em um parágrafo?

    • Tente limitar o parágrafo a oito ou dez linhas.

    • Caso contrário, ele parecerá denso e desencorajará a leitura.

    • Use marcas distintas antes de sentenças ou parágrafos que se seguem a um ponto fundamental.

    • Por exemplo: “São as seguintes as considerações que eu fiz ao sugerir essa revisão: – Nós podemos atingi-Ia num período menor de tempo… – O pessoal necessário pode ser reduzido de…

    • Ponha os seus pontos importantes na frente.

    • Comece com uma boa razão pela qual alguém devesse ler o seu memorando ou relatório – um benefício principal:

    • “Nós temos a capacidade de atingir uma redução de custos de 25 a 35 por cento em quatro meses.”

    • Onde for possível, siga a orientação do jornalista: o mais rapidamente possível, nos primeiros dois parágrafos, responda às perguntas quem, o quê, onde, quando, como e o porquê.

    • Mantenha o documento ou relatório o mais curto possível

    • Você quer que ele seja lido – já.

    • A maioria das pessoas se desinteressa por qualquer coisa mais longa do que uma página.

    • Às vezes você não pode evitar escrever um memorando ou carta longos.

    • Mas se for mais que uma página e parecer carregado (muito papel), muitas pessoas o colocarão de lado para ler mais tarde. E o mais tarde pode não acontecer.

    • E por fim, calcule intuitivamente o índice de fumaça do seu texto, descobrindo onde ele pode estar poluído e pode ser cortado, reduzido, sem prejuízo da mensagem.

    • Texto gerado através de compilação resumida do Manual Internacional do Gerente da GE – década de 90, no qual eu era instrutor para as unidades de negócio da América Latina.

      Para encerrar esse post e por acreditar que a gente se comunica nas artes, com a pintura, nas ideias, com os textos e na música com as canções, escolhi uma música para inspirar ainda mais o seu dia.

    • Ouça o Concerto de um pianista de apenas 14 anos, no Lincoln Center, em junho último, foi gravado pela Motéma – Impressionante a leveza, o capricho e a arte desse garoto prodígio do Novo Jazz :

Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2702 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*