CRIE JÁ UM NOVO HÁBITO SAUDÁVEL PARA VOCÊ MESMO – INFORME-SE O MÁXIMO QUE PUDER COM O MÍNIMO DE TEMPO POSSÍVEL – LEIA O RESUMO PRINCIPAIS REVISTAS MUNDIAIS QUE CIRCULARAM NA QUARTA SEMANA DE JANEIRO DE 2018:

“QUEM PENSA POUCO, ERRA MUITO.”

A Frase inspiradora do dia – de Leonardo da Vinci


VOCÊ ! Uma pessoa melhor e mais bem sucedida!
Esta é a causa pela qual trabalhamos apaixonadamente aqui no blog do Maluco:)
Nossa missão é te servir cada vez melhor com conteúdos úteis e muito relevantes capazes de contribuir para o aumento do seu valor pessoal e profissional.
Nossos maiores inimigos comuns são a falta de tempo, o stress, o tédio e a rotina nossa de cada dia.
VOCÊ – Uma pessoa mais bem informada em bem menos tempo – é o objetivo deste post.


Como você já sabe, ler é meu vício e compartilhar o que leio a minha missão na vida.

Eu adoro muito ler e gosto mais ainda de compartilhar o que leio como forma de contribuir para que você se sinta bem informado com o máximo de conteúdo e o mínimo de tempo e esforço necessário para isto.

Eu procuro respeitar muito o seu tempo e a sua inteligência e uso o blog do maluco para combater os nossos inimigos comuns = a falta de tempo, o stress, o tédio e a rotina nossa de cada dia.

Está sem tempo?

Então veja abaixo um resumo das notícias que você não deve perder, onde eu acrescentei meus comentários pessoais misturando-os com trechos das próprias revistas.:


Priorize sua leitura pelas matérias que fazem a cobertura sobre o pós julgamento e condenação do ex-presidente Lula e sobre as ameaças cada vez mais crescentes de uma nova guerra no mundo e a reação mundial ao Presidente Trump, após seu discurso em Davos.


Lendo as revistas brasileiras da semana, vi que as notícias mais importantes foram :

A Revista Veja estampa, em uma capa com fundo branco e nome da revista com letra vermelha, duas fotos 3×4 do ex-presidente Lula em preto e branco :

Na primeira, Lula aparece cabeludo, com cabelo e barba preta e uma camisa branca olhando para frente, tendo uma placa pendurada no seu pescoço com as inscrições : “Dops-80 e o número 12712”.

Na segunda foto, atual, Lula aparece envelhecido e quase sem cabelo e barba branca olhando para frente, tendo uma placa pendurada no seu pescoço com as inscrições : “Condenado”

Abaixo das duas fotos o título :

“O que falta para Lula ser preso?”

Com a condenação unânime e pena aumentada para doze anos, o ex-presidente fica com poucas saídas na Justiça e, no cenário mais extremo, pode estar na cadeia em 40 dias.

É de se lamentar profundamente a condenação de Lula ( que emergiu das massas como esperança e está afundando como o responsável pelas maiores crises que esse país já viveu até hoje).


A Revista Isto É estampa numa capa totalmente vermelha com letras brancas e douradas, uma foto com o rosto do Lula condenado acima do texto – “O Cara acabou”


A Revista Época apresenta uma foto de Lula, num fundo preto, com seu pouco cabelo e barba brancos e com uma camisa preta com destaque para sua orelha direita.

O título da Revista é “Lula não acabou”.

Ela analisa o papel do ex-presidente, agora condenado, nas eleições desse ano, analisa o papel dos seus companheiros e seus acampamentos e cita a história de um fugitivo – um homem que segundo a Revista conseguiu escapar de Moro.

A Revista pergunta :

“Até onde Lula vai?” – Condenado pela Justiça por corrupção e lavagem de dinheiro, ele será candidato à Presidência por si mesmo e pelo PT.

Mesmo se for preso, ele poderá influenciar de algum jeito o resultado da eleição.


Lendo as revistas de negócio, resumo que elas focaram:

No destaque das ideias, produtos e líderes que tendem a se destacar em 2018, muitos deles na área de tecnologia e de serviços.

Na análise dos candidatos do mercado para as eleições 2018 – os prós e os contras.

As revistas ainda analisam 2018 em perspectiva ao final do fechamento do seu primeiro mês.


Já nas revistas internacionais, os temas que mais me chamaram a atenção foram :

A matéria de capa da Revista The Economist, que fala sobre a “próxima guerra” – um tema recorrente nas principais revistas mundiais.

Ela fala do crescimento do perigo de um grande conflito de poder.

O que mais se lê é que as recentes mudanças na tecnologia, no meio ambiente e na geopolítica estão renovando a ameaça de um possível nova guerra.

Eu tendo a ser descrente de manchetes como essa, mas minha experiência de leitor me pede para analisar melhor as insistentes e repetidas matérias, artigos e reportagens sobre os reais riscos de uma nova guerra no mundo.

Sempre que um assunto foi divulgado com tanta insistência no passado, ele acabou se materializando de algum jeito no futuro, por isso continuo descrente e torcendo para que uma guerra não aconteça, mas não me assustarei se algo de mais sério e grave ocorrer com consequências ruins para todo o planeta.

Nunca despreze manchetes com as quais você não se simpatiza – analise-as friamente à luz dos fatos e da história.


Uma matéria da Revista Time analisa a participação do Presidente Trump na conferência mundial de Davos.

Time diz que, apesar de um discurso moderado e simpático, a América deixou de importar para o resto do mundo e que Davos não está preocupado com o Presidente Trump.

A Revista confronta o poderio bélico e econômico dos Estados Unidos contra as ações desastradas do seu atual presidente, onde ele defende um processo de desglobalização como nunca visto, numa tentativa de desmontar o processo de globalização que foi desenhado, montado, implementado e dominado pelos Estados Unidos durante gerações.

Eu separei uma tradução feita pelo google tradutor de um trecho interessante da reportagem :

“Para recapitular, os EUA surgiram da devastação da Segunda Guerra Mundial como a nação mais poderosa do planeta. Em seus últimos meses no cargo, Franklin D. Roosevelt foi uma das instituições internacionais de meio período que daria a cada nação uma participação em manter um mundo pacífico e estável que tivesse a América em seu centro. Não por acaso, as Nações Unidas, o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional estão todos localizados nos EUA. Também não foi coincidência que, nos próximos 70 anos, os presidentes dos EUA articulassem políticas estrangeiras que convocassem o mundo para o lado dos Estados Unidos.

Era uma questão de defender os objetivos – liberdade e livre mercado, progresso e direitos humanos – que os americanos pensavam como valores americanos, mas que mesmo regimes autoritários como a União Soviética sentiram-se obrigados, pelo menos, a assumir nominalmente em tratados e proclamações como o Universal Declaração de Direitos Humanos. E se eles carregassem o ressoado eco da placa no interior da Assembléia Geral, era algo para ouvi-los citado por uma professora sob o polegar de um senhor da guerra no Congo, ou um camponês curdo no sudeste militarizado da Turquia.”


No mais, eu recomendo a leitura sempre digestiva e agradável da revista New Yorker com suas matérias leves e profundamente interessantes ao mesmo tempo.


Para encerrar este post e inspirar ainda mais a sua semana, escolhi a música mais ouvida na China no momento :

Ouça >

体面


Segue abaixo a capa das principais revistas que li essa semana para preparar o seu resumo especial:

  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+

Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2743 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*