DICA DE FILME – NA VERDADE UM FILMAÇO QUE CONTÉM A MELHOR CENA E A MELHOR SEQUÊNCIA CINEMATOGRÁFICA JÁ PRODUZIDA ATÉ HOJE E QUE CONTA A MELHOR HISTÓRIA SOBRE COMBATE À CORRUPÇÃO DE TODOS OS TEMPOS – IMPERDÍVEL PARA VOCÊ RELAXAR NO FIM DE SEMANA – FILME IDEAL PARA ASSISTIR EM TEMPOS DE LAVA JATO E DELAÇÕES PREMIADAS – ELE CONTA A HISTÓRIA DO “MORO” AMERICANO

“A LUZ DO SOL É O MELHOR DOS DESINFETANTES””

A frase inspiradora do dia – cunhada há quase um século por Louis Brandeis, ex-Juiz da Suprema Corte dos EUA.


Minha dica de filme para hoje vai para o clássico “ Os Intocáveis “ do grande diretor de cinema Brian de Palma.


Sucesso de bilheteria desde o seu lançamento nos anos 80, este filme me fez lembrar uma passagem das minhas leituras pelos livros do grande filósofo Espinosa, para quem ao longo da existência humana, os homens em geral resumiram a vida à busca frenética de três coisas :

Riqueza (dinheiro) + Honras (fama e poder) + Prazeres (sexo).

Eu acredito que estas três coisas sejam a origem da maioria das neuroses humanas e este filme é uma pequena amostra disto.

A dica do filme me ocorreu lendo as notícias chocantes dos últimos dias – pensei em sugeri-lo como alternativa do mundo ficcional para atenuar o horror causado pelo mundo Real.


Indo direto ao ponto :

A qualidade do filme começa pela escolha dos atores, que encararam o desafio como famintos devoradores na frente de um prato de comida.


A qualidade continua pela excelência no visual de estilo marcante e refinado e pela trilha sonora hipnotizante – tudo isso recheando um roteiro de primeira linha.


O filme fala sobre o eterno confronto entre o bem o mal que retrata a realidade da época de uma maneira incrivelmente estilizada onde cada cena foi cuidadosamente montada para compor uma série de pequenos momentos que evidenciam sentimentos contrários que vão te provocar reações incríveis o tempo todo.


É a história do agente do Tesouro Eliott Ness tentando enquadrar e levar para o xadrez o poderoso Al Capone, em plena lei seca na Chicago dos anos 30.


A linda fotografia, o ritmo alucinante, os atores geniais e cenários incríveis te farão se sentir mergulhado dentro da bela Chicago daquela época, como se você assistisse ao filme de dentro dele.


Nos anos trinta, a lei seca impedia o comércio de bebidas alcoólicas em Chicago, que insistia em existir apesar da proibição legal.


Com praticamente todos os poderosos no bolso, Al Capone mandava e desmandava na cidade, sem nunca ser pego pela autoridades por causa da sua habilidade em construir uma engenharia do crime onde nunca as autoridades conseguiam achar uma prova concreta que pudesse evidenciar sua participação nos crimes do qual ele era o principal responsável.


Até que aparece na cidade, Eliott Ness, um jovem talentoso agente federal que vira a pedra no sapato de Al Capone e vice-versa.


Contratado para combater o crime e tentar acabar com o reinado do terror e da corrupção, Eliott Ness escolhe a dedo uma equipe de destemidos e corajosos policiais incorruptíveis e com eles passa o filme tentando pegar o chefe do crime organizado da época.


O filme é completo, excelente em todos os quesitos – desde o cenário, a fotografia e o figurino onde os atores foram elegantemente vestidos por ninguém mais ninguém menos do que Giorgio Armani com seus ternos de corte impecável.


Luxo por todos os lados, pelas belas ruas de Chicago, pelos interiores dos ambientes e por tudo o que compõe o filme.


Com uma técnica de fotografia “dessaturada” o diretor provoca a criação de imagens que nos lembram aqueles velhos jornais amarelados pelo tempo numa perfeita recriação do cenário da época, mantendo-o sempre atual como um filme de época.


O trabalho que a equipe técnica conduziu na manipulação das imagens e principalmente da cor neste filme merece aplausos – o vermelho prevalece nas cenas de sangue, as cores pasteis e frias nas cenas mais tensas e dramáticas e cores vibrante salientam as cenas de conquistas.


O roteiro é impecável e conta a história de um protagonista incrível na luta contra seus antagonistas que se uniam em torno do escudo do crime e da corrupção.


A trilha sonora mescla músicas que acompanham as cenas em toda a película alternando climas de tensão, tristeza, melancolia, alegria, derrotas e conquistas.


De Palma demonstra demonstra todo seu talento na melhor cena do longa, e em minha opinião a melhor cena sequência cinematográfica do cinema : durante a espetacular seqüência na estação de trem (uma bela homenagem a “O Encouraçado Potemkin”, de 1925). A câmera lenta mostra em detalhes o show orquestrado por De Palma, com o carrinho do bebê lentamente descendo as escadarias enquanto os gângsteres trocam tiros com Ness e Petri, num balé perfeito que é puro cinema.


Os Intocáveis tem uma nota alta -7,9 na opinião de quase 230.000 pessoas que o assistiram e o avaliaram no maior site de cinema, o IMDB.


Brian de Palma na direção e atores do quilate de Sean Connery, Robert De Niro, Andy Garcia e Kevin Costner se juntam num pacto em nome da melhor atuação de suas vidas acompanhados pelos excelentes Mamet no roteiro e Morricone na trilha sonora. Imperdível!


Veja um resumo do trailer :

Abrem-se as cortinas do cinema…

Logo na entrada um enorme pôster mostra em segundo plano uma foto em preto e branco com um close do rosto de Al Capone, de chapéu e óculos de grau, segurando com a mão esquerda um charuto aceso na altura do queixo – a foto do chefe da Corrupção – em primeiro plano, logo abaixo do queixo Capone, uma imagem colorida do agente federal Eliott Ness e sua equipe armados encarando de frente os agentes do crime mais perigosos da época.

Logo nos créditos iniciais você pode sentir a arte refinada que caracteriza o filme, com o belo trabalho de sombra e luz em cima do nome do mesmo.

Na primeira cena do trailer aparece a linda Chicago do final dos anos 20 e início dos anos 30 com seus prédios e ruas cheias de estilo onde desfilam os carros de luxo da época.

Ao fundo, uma narração com a voz de Kevin Costner, no papel do protagonista do filme, o agente federal Eliott Ness dizendo que tem ouvido muitas coisas pelas redondezas e que algumas vezes a reputação nos precede.

A imagem é cortada para o interior do salão de um hotel luxuoso e Robert De Niro, caracterizado de Al Capone aparece num impecável smoking, camisa branca, gravata borboleta e paletó preto, ele olha de um lado para o outro com semblante sério cobrindo um rosto cinematograficamente bem barbeado.

Em seguida ele aparece sentado na cadeira do barbeiro, com creme de barbear no rosto fazendo um discurso para uma pequena platéia que estava no local – ele diz que se a violência existe em Chicago, não é por culpa dele nem de seus empregados – bem parecido com os bandidos de hoje que cometem seus crimes e depois alegam não saber de nada e serem totalmente inocentes, na maior cara de pau.

Ironicamente ele afirma que não é culpado, porque a violência não é um bom negócio.

Um senhor com seu chapéu sai de uma loja que logo em seguida explode com muito fogo, fumaça e objetos voando pelos ares e pessoas sendo atiradas longe na rua.

Al Capone aparece com seu barbear rente e sorriso sarcástico.

Aparece então a imagem de Kevin Costner, como Elliot Ness dentro de um impecável terno produzido por Giorgio Armani. Ele coloca as mãos nos bolsos da calça e caminha para frente com olhar de quem está determinado a fazer a coisa certa.

Depois, Ness aparece recrutando seu maior futuro fiel escudeiro, o excelente Sean Connery na pele do experiente soldado Malone. Detalhe os dois conversam ajoelhados dentro de uma igreja por estratégia proposta pelo segundo.

Ness olha para o lado e diz para seu novo parceiro que jurou prender Al Capone, com qualquer meio legal que tiver.

Malone responde que para eles prenderem Capone precisarão jogar o jogo dele – se ele pegar uma faca, eles também responder pegando uma arma – se ele mandar um dos seus para o hospital, eles devem mandar um dos homens dele para a cova, alegando que em Chicago é assim que as coisas funcionam.

Na cena seguinte, os dois aparecem devidamente uniformizados e armados e vão até a Academia de Polícia recrutar o melhor atirador do local, Andy Garcia numa de suas melhores atuações no cinema.

Os três aparecem em seguida dentro de um carro forte, armados e seguidos por policiais à pé para uma batida e perseguição policial aos criminosos.

Malone, dentro do carro, exclama se orgulhar de serem os primeiros com coragem suficiente para enfrentar e prender Capone e o carro forte invade um depósito onde deveria estar escondido um carregamento ilegal de bebida.

Al Capone aparece de costas para a Câmara dando uma entrevista coletiva para a imprensa da época mandando um recado – alguém mexeu comigo? Eu mexo com ele também!

E por fim Malone e Ness escolhem para completar o quarteto de defensores da Lei um pequeno e frágil contador cuja arma mais perigosa usada até aquele dia tinha sido uma caneta esferográfica – Malone lhe entrega um rifle, um distintivo e o batiza combatente da lei.

Ness aparece correndo e armado pelo mezanino de um depósito e aponta para um grupo de homens uniformizados na cor azul que trabalhavam na embalagem e empacotamento de uma mercadoria.

Um emissário de Capone aparece de terno, sobretudo, chapéu e óculos de grau no escritório de Ness fazendo ameaças e oferecendo propina para ele parar de perseguir Capone.

O homem ironiza : “Vocês são “intocáveis” não são? Ninguém os atinge?”

Um repórter de jornal impresso fotografa uma cena iluminando o local com a luz do seu flash.

O quarteto posa para a foto, todos de pulôver escuro, camisa branca numa mesa de restaurante atrás de uma vela acesa.

O emissário continua ameaçando e dizendo que qualquer um pode ser pego também, que não acredita em Intocáveis.

Por precaução, Ness aparece carregando sua filha no colo de madrugada e providenciando a mudança dela e da esposa grávida do segundo filho para um local desconhecido e seguro.

Só que na rua em frente a sua casa e de madrugada ele flagra um motorista dentro de um carro suspeito vigiando a mudança da sua família.

Ness orienta ao motorista que cuida da família para atirar ao primeiro sinal de perigo no caminho deles até a estação.

Capone aparece no salão do hotel impecavelmente bem vestido e rodeado por seus assessores gritando para todos ouvirem que numa luta de rua, quando um homem fica de fé, ele é o vencedor.

A esposa de Malone aparece em close aguardando sua promessa de se cuidar, quando ele tenta tranquiliza-la : “Cuidado é o meu Lema!”

Ness aparece também bem vestido na rua ao lado de Malone dizendo que quer atingir Capone, atingindo um sujeito para que a briga chegue no chefe.

Um tiroteio abre a cena com policiais de fronteira atirando em cima de seus cavalos num carro suspeito enquanto Ness e sua equipe tentam cercar os bandidos em cima de uma ponte de madeira na fronteira.

O pequeno contador da lei aparece bravo atirando no vidro do carro dos inimigos.

Ness aparece pegando um homem pelo pescoço e afirmando que ele pode incriminar Al Capone e colocá-los atrás das grades – o homem em foco é o Contador, responsável pela engenharia do Crime de Al Capone que o transformava em invisível para a justiça americana.

A tela volta para a tensão do tiroteio na fronteira e depois o quarteto aparece do lado de dentro de uma cabana próxima ameaçando de morte dois criminosos presos durante a ação.

Malone usa um truque de mágica usando o primeiro preso para fazer o segundo homem abrir a boca e contar tudo o que sabe.

Capone aparece de novo no salão do hotel, desta vez dentro de um impecável terno cinza falando com muita raiva que seu desejo é pegar o safado do Ness onde dói, querendo ver a família de seu inimigo morta.

É neste momento que o trailer mostra um trecho da cena de filme mais incrível da história acontecida na escadaria da estação de trem – a cena é repetida em câmera lenta para deleite dos seus olhos e da sua imaginação.

Novo tiroteio, desta vez numa escadaria, enquanto as cenas se intercalam com Capone rodeado numa luxuosa mesa de jantar pelos membros de sua facção – Ness leva a melhor em algumas cenas, leva a pior em outras e o filme nos surpreende com imagens e passagens que não esperamos e torcemos para não acontecer.

Um carrinho de bebê descendo uma longa escada entra para a história do cinema ao som de uma trilha sonora digna das maiores óperas do teatro.

Enquanto a cena do carrinho se repete em câmera lenta, acontece o julgamento de Capone no tribunal.

Ness aparece dizendo ter caçado Capone, ter traído a si mesmo, ter violado as leis que jurou defender e estar feliz por ter acertado.

Os quatro cavaleiros da lei aparecem correndo pelas ruas enquanto Capone ergue um brinde com um ator vestido de palhaço.

Ness aparece abraçado a sua filha numa cena que revela alívio.

Capone aparece enfurecido de terno, gravata, chapéu claro e óculos escuros gritando ofensas para Malone na saída do tribunal.

A imprensa em massa cobre a cena.

E Ness fecha o trailer dizendo :

“NUNCA PARE DE LUTAR – ATÉ QUE A LUTA ACABE.”


Um senhor filme, imperdível – eu garanto !

Veja o trailer :

EU DESEJO QUE VOCÊ FAÇA UM EXCELENTE FIM DE SEMANA – ATÉ SEGUNDA !

Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2690 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*