DICA DE FILME – SE SUA VIDA FOSSE UM FILME QUAL NOME ELE TERIA E QUAL SERIA A SUA HISTÓRIA? O FILME QUE INDICO HOJE VAI PROVOCAR SUA REFLEXÃO SOBRE ESTE TEMA – FILME QUE TEM COMO MENSAGEM PRINCIPAL : “A BELEZA SALVARÁ O MUNDO”:


“A BELEZA SALVARÁ O MUNDO”

A frase inspiradora do dia – de Dostoiévski – frase que inspirou a montagem do filme, segundo seu próprio diretor.

Minha dica de filme de hoje vai para uma bela e encantadora história, terna, divertida e comovente – um filme curiosamente chamado Filme, que tem Filme e Vida no seu nome:

“O filme Da Minha Vida”

Uma linda história de um garoto que volta para sua cidade natal (um pequeno povoado) com um diploma de professor na mão. E a história de seu pai, um forasteiro Francês que ele não vê há anos. Quando ele desce do trem, seu pai sobe em outro vagão a fim de embarcar para a França e eles não se encontram. Seu pai então desaparece, até que um dia, o jovem visita uma cidade vizinha pela primeira vez para ir a um bordel e descobre que….

Novo filme do brilhante diretor e ator brasileiro Selton Mello.

Em resumo, ele mostra como a vida real pode ser vivida como um filme, a partir da ótica de alguém que imagina a sua própria trajetória de vida da forma mais cinematográfica possível.

Baseado no livro “Um Pai De Cinema” do premiadíssimo e competente escritor chileno Antônio Skármeta, autor de bons livros, entre eles o que inspirou o vencedor de vários prêmios internacionais, O Carteiro e O Poeta nos anos 90.

O protagonista é Tony Terranova.

Este filme me encantou muito por ter o próprio cinema como tema sob a lente das mais diversas relações afetivas.

Uma história cativante que mostra como o cinema tem o poder de reorganizar as relações de um ser humano, ligando seus laços afetivos aos seus sonhos como uma ponte.

Encontros e desencontros que têm como pano de fundo relacionamentos familiares complexos.

Uma deliciosa película com tom de drama, pitadas de comédia que tem uma história arquitetada como num roteiro de cinema através da coleção de um vasto repertório de filmes vistos e revistos ao longo dos anos.

Tony, professor de Francês retorna para sua cidade natal e descobre que o pai já não vive mais lá, tento aparentemente voltado para a França.


Esta repentina ausência do pai, aciona o gatilho da história e mostra como o menino vai formando seus próprios medos ao redor de responsabilidades assumidas precocemente, ao mesmo tempo em que a verdade sobre seu pai começa a vir à tona e o obriga a tomar as rédeas de sua vida.


Ele tenta cumprir as responsabilidades que lhe cabem ao mesmo tempo em que tenta entender e viver seus sentimentos, suas aventuras e seus afetos.

No meio da sua caminhada pela estrada da vida, encontra uma linda jovem por quem se apaixona e é correspondido e ainda encontra um mentor de estilo rústico e oposto ao seu, que foi grande amigo do seu pai, para quem ele tem a liberdade de desabafar todas as suas angústias e seus medos.

Tony ainda se deslumbra ao descobrir outras duas enormes paixões em sua vida – livros e filmes que transformam o amor, a poesia e o encanto do cinema em suas grandes razões de viver a ponto de assumir o papel idealizado de um diretor de cinema e guia para os outros personagens no decorrer da trama.

O filme constrói habilmente uma história de vida como se ela fosse um roteiro de cinema agregando toda carga possível de imaginação que só o cinema é capaz de proporcionar.

Nele, tudo parece irreal, mágico e belo, como se a vida fosse uma grande utopia cuidada em cada detalhe, demonstrando a genialidade e a ingenuidade desta linda ideia.

Esse filme provoca um casamento perfeito entre a narrativa e o cinema, com trechos desdobrados em blocos independentes amarrados entre si, podendo ser visto, apreciado e degustado tanto em partes quanto no seu todo.

Neste filme, chama a atenção como a bicicleta tem um papel de destaque como na cena que evoca nossas lembranças pessoais daqueles dias em quando aprendemos ou ensinamos alguém que amamos muito a andar de bicicleta ou que nos provoca surpresas e risos, como na cena em que um sujeito conta, num papo de fim de noite, como venceu a morte em uma corrida de bicicletas – genial, metafórico e metafísico.

Tem uma cena curiosa, quando o protagonista descobre no Bordel uma mulher “tarada” por geografia.

Tem ainda uma senhora trilha sonora que flerta com os sentimentos e as lembranças e que caminha da diva do Jazz, Nina Simone ao charme da música francesa de Charles Aznavour, pegando carona na melodia gaúcha interpretada por Sérgio Reis.

Vale a pena ver esta celebração da vida que tem a beleza como objetivo narrativo e estético ao redor do encantamento do cinema pela vida e a vida pelo cinema.

Bom gosto da primeira cena aos créditos finais que prende muito a atenção, sublime e tocante homenagem a todos os PAIS de todo mundo, que se por ventura não existissem, seriam criados tal como são pela imaginação dos filhos.

Uma fotografia de encher os olhos, trajes de época bem produzidos e mulheres deslumbrantes como na época da Juventude Transviada, inclusive no figurino típico da época.

A história se passa nas Serras Gaúchas no ano de 1963.

“O Filme da Minha Vida” tem uma nota alta 9,2 na opinião de um pequeno público que o assistiu por ocasião de seu lançamento e o avaliou no maior site de cinema do mundo, o IMDB.

Este filme é muito bem cuidado, muito bem produzido a ponto superar de longe pequenos detalhes e ajustes que poderiam torná-lo praticamente perfeito.

Minha nota pessoal para este filme é 9.

Veja o trailer, aproveite seu fim de semana e corra para o cinema para relaxar, fazer as pazes com o descanso, pois quanto mais você relaxa e descansa mais você produz na semana seguinte.


APROVEITE PARA DAR UM DESCANSO NA LOUCURA QUE É A VIDA – EU DESEJO QUE VOCÊ FAÇA UM EXCELENTE FIM DE SEMANA!



Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2636 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*