POR QUE AS DIETAS ENGORDAM MAIS DO QUE EMAGRECEM NO LONGO PRAZO – DICA DE LIVRO SOBRE SAÚDE PARA LER NAS FÉRIAS

mulher-ao-espelho-1932-picasso
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+


“Uma cintura fina ajuda a evitar um dos mais graves problemas de saúde do mundo : O Diabetes”

Frase da Dra.Heloísa Bernardes


VOCÊ UMA PESSOA MELHOR E MAIS BEM SUCEDIDA ! ESTA É A CAUSA PELA QUAL TRABALHAMOS AQUI NO BLOG DO MALUCO:) !

VOCÊ UMA PESSOA MAIS SAUDÁVEL – É O OBJETIVO DESTE POST !


Para ilustrar este post, escolhi a obra de arte, a pintura “Mulher ao Espelho” de 1932, obra de Pablo Picasso.

Escolhi este quadro por considerar a mulher uma genuína representante da beleza humana e fonte de eterna sabedoria.

No mundo de hoje, mais do que ser belo, o ser humano precisa ser sábio para fazer as melhores escolhas na vida.

E nunca foi tão importante a consciência sobre a saúde para uma vida rica em quantidade e qualidade.


Recentemente li um livro sobre saúde e nutrição que gostei muito e como o tema é útil e interessante, eu resolvi compartilhar com você alguns pontos do que eu li e do que ouvi do seu autor em algumas entrevistas, por considerar que a dica do livro e um rápido resumo do seu conteúdo pode ser útil para o cuidado com a nossa saúde.

Veja os pontos que destaquei do livro e das entrevistas do Antônio Lancha Jr. Autor do livro – professor internacionalmente conceituado da USP e especialista nas áreas de medicina e nutrição, obesidade e atividade física.


LIVRO : O FIM DAS DIETAS :

Breve Resumo do livro e de algumas entrevistas recentes do autor :

O principal argumento do livro é que as dietas ajudam bem menos do que dizem nas propagandas e para solucionar este dilema ele sugere alternativas consistentes e cientificamente comprovadas.

Se a pessoa for disciplinada e orientada, ela basicamente não terá muitas proibições à mesa, desde que conheça suas limitações e os alimentos que lhe são mais benéficos em termos de consumo.

No longo prazo, as dietas engordam mais que emagrecem, afirma ele respaldado por comprovações científicas.

A razão é que ele diz não acreditar em dietas, pelo menos não da forma como elas são vendidas hoje, com regimes malucos e fórmulas mágicas.

Ele não ataca nenhuma dieta especificamente, ele apenas mostra que está comprovado cientificamente que as dietas engordam devido ao fato de que ninguém consegue fazer a privação de um nutriente ou de um determinado alimento por muito tempo, ao longo de toda a vida.Salvo raras exceções de pessoas com sérios problemas de saúde.

Além disto, ele cita que as dietas tem um componente psicológico que aumenta o sentimento de culpa das pessoas por consumir determinados alimentos, fazendo com que elas os deixem de consumir por um tempo até a primeira recaída, quando elas geralmente voltam a consumir o que tinham parado em quantidades até maiores do que antes das dietas.

Para ele, o padrão restritivo mais a privação de alimentos defendido pelas dietas não funciona.

No livro, ele elenca um conjunto de conselhos para as pessoas possam fazer pequenos ajustes com um grande potencial emagrecedor.

Ele fala muito sobre estilo de vida e hábitos e exemplifica seus comentários com uma situação extrema – o caso de um piloto de avião (estressado e sujeito a horários irregulares) compulsivo, divorciado e que mora ao lado de uma sorveteria.

A grande dica que ele dá no livro é – O segredo da boa alimentação para você manter o peso sob controle é você se alimentar concentrando-se no momento presente, procurar se concentrar no comida e no ato de se alimentar de forma calma e tranquila e sem outras coisas na cabeça neste momento.

No livro ele cita as principais armadilhas engordativas e as melhores estratégias para evitá-las.

Um dos segredos do emagrecimento é aplicar a fórmula : Calorias consumidas – Calorias gastas – ele mostra que as pessoas não engordam só por consumirem muitas calorias, engordam também e às vezes até mais por não gastarem calorias na quantidade suficiente.

Gastar mais energia e caloria do que consumir é uma excelente estratégia.

A alimentação aumenta o consumo energético de calorias e a atividade física reduz este consumo.

Ele cita a oportunidade que vê dos próprios profissionais de medicina, os próprios médicos das várias especialidades adicionarem conceitos básicos de nutrição em suas especialidades e recomendações aos pacientes.

Em tese, as pessoas poderiam consumir qualquer elemento desde que forma equilibrada e combinada com outros alimentos complementares.

Uma das coisas que me chamou a atenção em uma de suas entrevistas foi o fato citado de que a combinação de certos alimentos interfere no ph sanguíneo e que o nosso ph sanguíneo é geralmente muito bem controlado e estável com baixas variações.

O ph é tão controlado, que se você fizer discretas acidoses, você hiper ventila (condição de pessoas com altos níveis de ansiedade e até síndrome do pânico) ativando o chamado tampão respiratório.

O ideal é você se alimentar de forma a não deixar flutuar muito o ph sanguíneo do organismo.

Um exemplo que ele dá é quando o excesso de consumo de leite diminui a absorção de ferro do organismo.

O consumo exagerado de leite cria uma competição com o ferro e diminui a absorção do mesmo no organismo.

Ele cita exemplos em que para o sistema circulatório o consumo exagerado de açúcar é muito agressivo.

Em vários pontos do livro ele cita a importância da alimentação equilibrada e da alimentação combinada de diferentes alimentos ao invés da alimentação isolada de apenas um.

Ele fala da importância do consumo equilibrado entre a gordura animal com a gordura vegetal e que a qualidade da gordura interfere até mais do que a quantidade no processo inflamatório do organismo.

A alimentação com proteínas em excesso também pode prejudicar o organismo no médio prazo.

Todo alimento pode ser consumido, desde que guiado por escolhas bastantes equilibradas.

A combinação da dupla alimentação balanceada com atividade física ajuda muito na melhoria da nossa saúde, de um jeito que você nem imagina.

Ele cita o carboidrato e em certas partes diferencia o carboidrato simples do complexo pela ação do mesmo no nosso organismo.

De maneira simples e didática ele diz que no nosso corpo o único carboidrato que circula é a glicose e que sempre ingerimos alimentos (que geralmente contém glicose, frutose ou galactose) – assim que eles são digeridos eles acabam se transformando em glicose no nosso corpo.

Alguns alimentos são transformados em glicose em grande quantidade e com muita velocidade, de maneira maléfica para o organismo, como os alimentos brancos (arroz, pão, farinha, massa…) ao passo que seus equivalentes integrais (arroz, pão, farinha e massa,…) levam mais tempo para serem convertidos em glicose, proporcionando benefícios para o nosso organismo.

Então é por isso que ao consumirmos um pão branco sozinho, logo depois de ingerido ele é convertido em glicose e vai direto circular no nosso corpo de forma muito rápida e prejudicial.

o consumo do pão francês integral não permitira esta circulação tão rápida e faria muito bem para o corpo.

Outra dica inteligente que ele dá é o consumo do pão francês convencional (de alto índice glicêmico) combinado por exemplo com uma fatia de queijo minas – combinação que ajuda a reduzir os malefícios do alto índice glicêmico do pão, pois quem vai contar no organismo é o índice glicêmico do conjunto –  apesar do alto índice glicêmico do pão, ao ser misturado ao queijo o pão não seria separado no momento da digestão para um lado e o queijo para o outro fazendo com que o índice glicêmico do conjunto fosse menor – mesmo exemplo da mistura do arroz branco com o feijão (rico em fibras).

Estas combinações de alimentos com altos índices glicêmicos com outros atenuantes (ex: pão com queijo e arroz com feijão) são inteligentes.

O maior perigo está no consumo do carboidrato de forma isolada.

O prazer do consumo de um alimento é muito potente e ele precisa ser equilibrado de uma maneira que haja um equilíbrio da ingestão de alimentos – a combinação correta de alimentos é muito melhor do que uma única escolha.


Para encerrar este post, escolhi como trilha sonora uma música que eu gosto de ouvir no momento das atividades físicas : Get Lucky, Daft Punk

Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2689 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*