DICA DE FILME PARA VOCÊ ASSISTIR PELA TV – AINDA EM 2017 OU LOGO NO INÍCIO DE 2018 -UM DRAMA SOBRE PERDAS COMOVENTES – UM REDOMOINHO EXTRAORDINÁRIO DE AMOR, RAIVA, TERNURA E HUMOR SENSÍVEL. UM FILME QUE RETRATA A VIDA COMO ELA É:

“HÁ MALES QUE VEM PARA O MAL”

frase feita desvirtuada pela história desse filme incrível.


Minha dica de cinema de hoje vai para um filme diferente, brilhante e emocionante ao mesmo tempo :

-Manchester À Beira Mar-


Resumindo, a história se passa no Condado de Essex e é sobre um homem desafiado pelo destino a cuidar de um sobrinho adolescente enquanto ele mesmo tenta se recuperar de graves acontecimentos.


Leia o resumo do trailer do mesmo comentado:

Um barco solitário no meio do mar azul, banhado por uma linda luz solar prateada, abriga três pescadores solitários – o pai, o filho e o tio.

Em tom de brincadeira, Lee (o tio) interroga o sobrinho sobre quem ele levaria para uma ilha deserta para se sentir seguro, tendo como alternativas de escolha ou ele ou o pai do garoto.

O sobrinho, afirma de bate pronto que levaria o pai.

Lee brinca alegando que o sobrinho poderia ter feito uma má escolha, mas no fundo ambos demonstram muito orgulho pelo pai, pelo irmão, por um grande homem, um verdadeiro protetor, alguém fora do comum e uma grande referência para todo o mundo.

A cena muda, o irmão mais novo, tio do garoto, aparece em seu trabalho com uma pá abrindo caminho entre a neve.

De repente, seu telefone toca, ele atende e pergunta :

“- O que? O que? O que aconteceu com o meu irmão?”

Ele recebe uma notícia nada boa – seu irmão querido e pai do seu sobrinho tinha acabado de morrer por causa de uma rara doença cardíaca.

Com o coração apertado pela triste notícia, Lee aparece dirigindo de volta para Manchester, uma cidade a alguns km de Boston (para onde ele havia se mudado para fugir de graves problemas do passado).

Dentro da sala do advogado da família, ele aparece confuso questionando sobre a notícia da morte repentina e sobre o fato do irmão ter lhe confiado a tutela e a guarda do garoto.

Ciente de sua doença, o irmão tinha pensado em tudo, inclusive tinha reservado um dinheiro para sustento do rapaz até ele se tornar independente.

Só que o desejo do irmão incluía a necessidade de Lee se mudar novamente para a cidade onde nasceu e morou toda a vida até os trágicos acontecimentos do passado, para viver ao lado do sobrinho órfão e tomar conta do mesmo.

O advogado conversa com ele e diz entender que ninguém poderia realmente saber exatamente os acontecimentos passados e as graves sequelas emocionais eles provocaram em Lee.

A partir desse momento, Lee passa alguns dias com o sobrinho enquanto espera para tomar as providências do funeral e decidir sobre o futuro dos dois sobreviventes daquele terrível acontecimento.

Nesse meio, os dois se estranham ao mesmo tempo que se ajudam a superar o trauma da morte daquele homem incrível.

Uma hora, quando Lee está na casa do irmão, ele recebe uma ligação que recupera em sua mente, todos os acontecimentos do passado – uma pessoa especial liga e eles conversam rapidamente.

Depois da conversa pelo telefone, eles se encontram no enterro e o assunto reaparece mais claramente para quem está assistindo ao filme.

Caminhando pelo porto, o tio e o sobrinho ainda discutem se vão ou não morar juntos e se o primeiro assume ou não a tutela do segundo.

Aterrorizado pela possibilidade de que ter que mudar, o jovem apela dizendo ter vários amigos, duas namoradas e uma banda das quais não poderia se separar para ir morar com um tio que tinha um emprego de um simples zelador em Boston.

Casey Affleck, irmão do famoso Ben, mostra na pele do sensível e atormentado Lee que atuar de maneira brilhante está no sangue da família e acaba arrebatando o Oscar de melhor ator pela sua atuação nesse filme.

Ele vive atormentado pelo medo da morte, pela incapacidade de lidar com escolhas passadas, pelo medo da solidão e pela dificuldade em encontrar um sentido e um significado para a sua vida.

Por isso, do nada, ele briga e agride pessoas pela rua, sem que elas possam enxergar as dores que o corroem por dentro.

Ele parece muito querer agredir para encontrar alguém que o castigue pelos seus sentimentos de medo, raiva, culpa e vergonha.

Lee parece não querer viver ou demonstra querer viver só para ser punido, mergulhado numa depressão congelante.

Problema sobre os quais ele discute com sua ex esposa e dos quais tenta fugir feito louco.

Um drama bem interessante baseado em um roteiro bem escrito.

A cena em que o sobrinho de Lee tem um ataque de pânico bem em frente ao congelador da geladeira aberta é sensível, emocionante e tende a ficar marcada em nossas mentes por muito tempo depois do filme.

Sem saber como lidar com aquela crise de pânico, o tio resolve se instalar ao lado do sobrinho, sem nada falar, apenas para dar suporte.

Assim termina o trailer desse filme denso, marcante, inteligente e meio sufocante do ponto de vista emocional.

Prepare-se para assistir a um filme intenso, que te fará querer algum tipo de alívio durante o transcorrer da história.

Um filme muito humano, banhado de emoção e sentimentos por todos os lados.

Uma tragédia com o poder de te fazer se sentir mais vivo do que nunca depois de assisti-la.


Para sua pré-avaliação do filme, eu indico a baixa as notas que ele recebeu nos melhores sites sobre cinema :

  • 7,9 na opinião de quase 171.000 pessoas no site IMDB

  • 9,5 na opinião da crítica no site Rotten Tomatoes

  • 7,7 na opinião geral dos avaliadores no site Rotten Tomatoes

  • 9,6 na opinião da crítica no site Metacritics

  • 8,0 na minha opinião

  • 8,6 na média das notas acima


Veja o trailer e se puder assista ao filme como se ele fosse um impulso para sua reflexão sobre o verdadeiro sentido e significado da vida :

Ouça um trecho ou toda a trilha sonora do mesmo, através do link abaixo:

Eu indico que você ouça pelo menos as músicas :

“Sonata para Oboé e Piano” e “Messiah, hwv 56” – dois primores da música clássica e a música

I´m Beginning to see the light na voz da diva do Jazz ,Ella Fitzgerald.

 

 

 

 

 

 

Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2743 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*