PÃO DE QUEIJO, FORNO DE MINAS, MONTANHAS, UM BELO HORIZONTE, BONS LIVROS E BONS FILMES – UMA COMBINAÇÃO TERAPÊUTICA.

LIGA O FORNO QUE VEM COISA BOA :


Amigos sempre me pedem opinião sobre experiências que possam agregar mais valor para suas vidas.

Eu sempre busco na Cultura e nas Artes sugestões que acredito valer a pena, incluindo bons livros, bons filmes, boas peças de teatro, bons museus, boas pinturas, boas esculturas, boas fotografias, boas filosofias, boas ideias de viagem, bons vinhos e principalmente boas dicas gastronômicas – é onde eu creio que reside o valor da vida.

Para mim, Marcel Proust é um dos maiores gênios da arte escrita e seu famoso livro “Em Busca Do Tempo Perdido” é uma bíblia para ser lida de joelhos por aqueles que creem na força da literatura como um instrumento com poder de nos tornar pessoas melhores.

Esse é um baita livro (escrito em 7 volumes) para quem busca autoconhecimento e inspiração. Não tem quem não leia esse livro sem ter água na boca de vontade de experimentar um pedaço de Madeleine, o bolinho plissado que quando banhado em chá, ativa no autor a memória de sua infância.

Se alguma vez na sua vida, você já molhou um pedaço de pão, biscoito ou bolo numa xícara de chá, café ou leite você imitou Marcel Proust até sem saber.

Proustiano, aliás, virou a designação de um gênero literário, um dos mais nobres em minha modesta opinião.


Diz Proust em O Tempo Reencontrado: 


Eu recomendo que você leia Proust como um antídoto para a superficialidade das ideias do mundo de hoje.

Uma das sugestões da ciência sobre por que o efeito proustiano acontece está na anatomia do cérebro e na proximidade entre o centro de processamento de cheiros e as regiões que controlam emoções e memórias.

O neurocientista e escritor Christian Jarrett publicou em um texto que fala sobre essa hipótese: o bulbo olfativo, que processa aromas, está em uma região do cérebro relativamente mais próxima do hipocampo e da amídala, que processam memórias e emoções.

A leitura de Proust e a lembrança de suas madaleines criou em mim um hábito curioso, um efeito Proustiano bem mineiro – ler bons livros ou ver bons filmes sempre acompanhados por uma delícia culinária que tenha o poder de conectar as ideias que leio, os pensamentos que elas me inspiram com as minhas melhores emoções e lembranças pessoais.

Especificamente no meu caso, o alimento que tem este poder mágico e terapêutico é o pão de queijo – sempre que me sento para ler um bom livro ou assistir a um bom filme acompanhado por uma cesta de deliciosos pães de queijo, eu me transporto para dentro de mundos ficcionais fantásticos que contribuem para reduzir a sensação de tédio causada pela rotina do dia a dia e por uma sensação de alívio em relação ao stress nosso de cada dia.

E por alguma razão inexplicável, o pão de queijo, o seu cheirinho característico e principalmente o seu sabor alimentam minhas melhores ideias e meus maiores insights na vida e principalmente, o pão de queijo me conecta socialmente com as pessoas que mais importam.

Experimente a combinação de Pão de Queijo, Montanhas como as de Minas Gerais, um Belo Horizonte, um bom livro ou um bom filme e descubra o seus poderes terapêuticos.

Para encerrar este post, escolhi um vídeo que exprime bem o poder do desejo que um delicioso pão de queijo nos provoca.

É um vídeo de uma senhora empresa, pela qual tenho grande admiração e respeito, que é a FORNO DE MINAS , uma empresa que eu conheço e que faz seus produtos se diferenciarem pela alta qualidade, pela preocupação em superar o gosto de seus clientes, de lhes gerar uma experiência de vida inesquecível e pela sua rica e saborosa história de empreendedorismo.

Se algum dia eu tivesse que imitar o gesto daqueles motoqueiros que, de tão fanáticos, tatuam em seus corpos imagens de suas motos Harley Davidson pela satisfação que elas proporcionam, eu me atreveria a tatuar a imagem de um pão de queijo, pelo simbolismo do seu poder de conexão e compartilhamento das coisas boas da vida.

Veja o vídeo, ele é de dar água na boca :

Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2702 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*