08 DICAS QUE VOCÊ NÃO PODE PERDER PARA REDUZIR O TÉDIO, O STRESS E A ROTINA PROVOCADOS PELO TRABALHO DIÁRIO E COMO AUMENTAR A SUA PRÓPRIA MOTIVAÇÃO E SATISFAÇÃO

  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google+

“O SEGREDO DO SUCESSO É FAZER COISAS COMUNS DE UMA MANEIRA TOTALMENTE INCOMUM”

A Frase inspiradora do dia – de John Rockefeller


Para ilustrar este post, escolhi uma obra de arte, um quadro, pintura óleo sobre tela que tem muita relação com o tema do post – ela sugere como devemos transformar nosso trabalho, por mais simples que seja, numa obra de arte.

Pintura : ” Par De Sapatos” – de 1887 – do gênio da pintura Van Gogh.

Olhe atentamente para o quadro acima – tente analisá-lo detidamente antes de continuar lendo este post.

Veja a minha interpretação deste quadro fantástico, inspirado numa análise linda feita pelo excelente escritor Affonso Romano de Sant’Anna :


Esta poderia ser apenas uma simples pintura esquecida num canto de qualquer museu pelo mundo, mas no entanto é considerada uma obra de arte das mais comentadas e elogiadas da história.

De quem seriam estes sapatos, a quem eles poderiam ter pertencido e o que a imagem dele te sugere – em que época teria sido pintado, o que a visão do todo do quadro te sugere.

Pare pense e analise por alguns minutos por conta própria e em seguida leia a análise deste quadro :

Em tese é um quadro simples de um par de sapatos, mas este simples quadro, além de ser considerado uma das maiores obras de arte de todos os tempos, foi alvo de muitas análises e debates ao longo da história entre vários intelectuais de diferentes ramos, entre eles o grande filosofo Jacques Derrida – autor do livro A Verdade Da Pintura -onde ele estuda as obras de vários pintores – entre eles Van Gogh e suas obras.

Em determinado ponto do livro, Derrida empreende uma brilhante análise exatamente acerca do debate em torno desta pintura “Par de Sapatos” de autoria de Vincent van Gogh que envolveu o filósofo Martin Heidegger e o historiador da arte Meyer Schapiro.

Em sua análise Derrida elabora uma reflexão acerca das problemáticas da representação e da verdade em pintura.

Heidegger, em 1936 escreveu um pequeno livro sobre obras de arte, no qual deu a sua teoria sobre este quadro – dizendo que via naqueles sapatos os sapatos de um camponês ao entardecer, provavelmente depois de um dia de muita labuta e que transmitia um sentimento de sofrimento da vida de um pobre.

E parecem mesmo com sapatos de camponeses, não parecem?

Schapiro, um historiador e professor americano após ler a obra de Heidegger, escreveu um ensaio dizendo que Heidegger estava enganado – que os sapatos não seriam de um camponês e sim de Van Gogh, seriam do próprio pintor, citando algumas evidências de que os sapatos poderiam ter sido mesmo de Van Gogh.

Jacques Derrida acabou se inserindo nesta polêmica e discordando dos dois – alegando em sua obra que o par de sapatos não seria nem de um camponês, nem do próprio Van Gogh –

Na verdade esta não seria um pintura de um par de sapatos, mas sim de dois pés esquerdos ou até dois pés direitos – olhe novamente para o quadro e veja que faz sentido esta análise de dois pés iguais ao invés de um par –

De acordo com sua filosofia, Derrida não acreditava na existência de pares metafísicos – ele não acreditava na polarização entre bem e mal, entre certo e errado e por isto negava a existência de um par de sapatos.

Ele era contra o pensamento em par.

Veja que maravilha é a arte, o que a interpretação de um simples quadro com apenas um par de sapatos pode gerar em termos de hipóteses e raciocínios intelectuais.


Imagine-se diante desse problema ou dessa situação :

Ultimamente tem sido desagradável vir trabalhar, o seu nível de energia está baixo, e nenhum dos seus projetos parece trazer muita satisfação. Em geral, você está muito esgotado.


Recomendações :


1- Você pode não estar recebendo atenção suficiente do seu chefe e de seus colegas.

Faça uma auditoria das suas realizações numa base diária e dê-se um crédito por aquilo que realmente fizer.

Aprenda a dar atenção a si mesmo.


2- Se os objetivos do seu projeto são de longo prazo por natureza ou se as prioridades tem mudado ultimamente, você pode estar sofrendo por falta de conclusão de tarefas.

Você está sentindo falta da satisfação que vem com a conclusão de uma tarefa.

Ajuste o seu foco sobre algum objetivo intermediário e estabeleça o seu próprio sistema contingencial de recompensa baseado nesses objetivos de curto prazo.

Decida de antemão como se recompensará quando atingir o objetivo.


3- Dê a si mesmo um aumento de salário.

O seu salário psicológico pode necessitar de um impulso.


4- Podem estar faltando coisas como visibilidade, tarefas desafiadoras, oportunidades de influenciar e maior responsabilidade.

Se esse for o caso discuta esses itens com o seu chefe.

Prepare com antecedência determinando o que está faltando e como você sente que ele pode ajudar a supri-Ia.


5- O bem estar físico pode ter um impacto significante no seu nível de motivação

Existem quaisquer sintomas físicos como dor de cabeça, dor nas costas, fadiga, etc., que possam indicar a necessidade de cuidados médicos?

A carga de trabalho é avassaladora?

Se for você pode estar gastando um quantidade anormal de tempo e energia no trabalho e cada vez menos tempo com a sua família e amigos.

Quando esse equilíbrio entre trabalho e vida pessoal fica fora do normal, isso pode causar algum ressentimento sobre o trabalho o que levará a uma menor motivação.


7- Avalie como você está usando o seu tempo.

Você está gastando muito tempo em tarefas rotineiras que poderiam ser delegadas à sua equipe?

Elas podem estar impedindo você de iniciar tarefas mais desafiadoras e de passar o tempo com quem você gostaria.


8- Quebre a rotina

Comece a fazer coisas diferentes e de modo diferente.

Faça um caminho diferente para o trabalho, saia para almoçar fora de vez em quando (se a sua rotina é almoçar na empresa), faça um esforço para desenvolver novas relações no trabalho.

Tempere a sua vida com alguma variedade.

Nos fins de semana, procure se ocupar de atividades totalmente diferentes daquelas que você normalmente se ocupa todos os dias úteis e tente alinhá-las com suas paixões na vida.


Para encerrar esse post, escolhi como trilha sonora uma música com um “batido da lata” bem sonoro e agradável – música para relaxar e inspirar ainda mais o seu dia :

Ouça a cantora curitibana cantando : Maracutaia –

eu gostei, espero que você também goste :

Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2702 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*