DICA DE FILME DA SEMANA – O MELHOR FILME QUE EU JÁ VI PARA AUMENTAR O SEU ARSENAL DE CULTURA E ELEGÂNCIA – UM ESPETÁCULO INCRÍVEL DE BOM GOSTO DO INÍCIO AO FIM:

“PARIS É UMA ETERNA FESTA”

A Frase Inspiradora do dia – de Ernest Hemingway


A minha dica de filme de hoje vai para uma história que reúne em uma só película o máximo da Cultura e da Elegância.

A melhor definição para Elegância que eu já vi diz que Elegância é a arte de se distinguir sem se fazer percebido.

A palavra Elegância, em sua origem, deriva do termo Eleger, Escolher.

Pessoas elegantes possuem uma capacidade incrível de fazer as melhores escolhas na vida.

E a melhor forma de se tornar cada vez mais Elegante é através do cultivo permanente da Cultura.

Muita Cultura provoca muito conhecimento que por sua vez se traduz em muita inteligência.

Cultura e Elegância caminham de mãos dadas o tempo todo sempre seguidas de perto pelo fino do máximo do bom gosto.

O que caracteriza uma pessoa elegante? Gosto pelas 7 Artes da vida e todas as suas adjacências.


Pessoas elegantes geralmente são vistas na boa companhia de uma boa obra, seja ela em forma de:

  • Literatura – bons livros.

  • Cinema – bons filmes.

  • Música, principalmente a Música Clássica, Rock, MPB e Jazz.

  • Dança – Balés, Musicais famosos.

  • Bons Shows, Espetáculos e Boas Peças de Teatro.

  • Visita à Museus e apreciação de suas obras :

  • Pintura, Escultura, Fotografia, Filosofia.

  • Gosto pela boa culinária (tanto a boa comida quanto a boa bebida (como bons vinhos) e também gosto por bons restaurantes finos.

  • E por fim, para ser considerada Culta e Elegante, uma pessoa deve Viajar o máximo que puder para o Exterior e para o Interior do País em busca do aprendizado e do contato com novas culturas e novas experiências de vida.


PARIS É UMA FESTA – A VIDA DEVE SER UMA ETERNA FESTA !

A vida é uma roda que gira e alterna momentos de pura adrenalina com momentos de puro tédio e rotina.

E por causa de todo o tédio e rotina em torno dos quais as pessoas vivem, elas acabam buscando mudanças constantes em suas vidas – elas mudam tanto, que acabam praticamente voltando para o mesmo ponto.

Este filme fala sobre a condição humana, sempre ilustrada por sentimentos como o medo da morte, o medo de fazer escolhas difíceis e ter que arcar com suas conseqüências, o medo da solidão e do isolamento e do medo provocado pela falta de um sentido e um significado da vida à medida que ela vai sendo rapidamente consumida.

Neste filme, Woody Allen explora como ninguém a eterna insatisfação do ser humano com a vida e consigo mesmo, representada pela constante vontade de se estar em outro lugar, em outra época, para poder ser alguém diferente do que se é ou mais próximo do que já se foi.

O filme explora a tristeza provocada pela melancolia de momentos dos quais as pessoas sentem saudade sem nem mesmo tê-los vivido.

Eu acho que o ser humano vive constantemente em busca do tempo perdido, vive sonhando em voltar ao passado e rever experiências e sentimentos para fugir da crueldade representada pelo presente.

Neste filme, o ator Owen Wilson interpreta brilhantemente o personagem Gil, um frustrado escritor de meia idade que só consegue escrever roteiros medíocres para filmes medianos.

Apesar de estar em Paris, um lugar que ele ama de paixão, ele se sente cercado de pessoas por todos os lados e completamente sozinho, isolado e enfadado.

Gil sente tanto tédio da sua vida rotineira e habitual que quando ele sai às cegas pelas ruas de Paris, como num conto de fadas, à meia noite as coisas mudam, a sua situação muda e Gil cai para dentro da mágica década de 20.

Como na história de Cinderela ao contrário, é à meia noite de todos os dias que a chata vida de Gil muda para muito melhor, quando passa uma carruagem em forma de um Rolls Royce amarelo.

Toda a experiência que ele vive pela Paris dos anos 20 e pela Belle Époque vai inspirá-lo a terminar o seu romance.

Gil tem uma oportunidade única e de fazer inveja a muito ser humano = conhecer e ter contato cara a cara com Ernest Hemingway, Pablo Picasso, Luis Bunuel, Man Ray, Scott e Zelda Fitzgerald, Salvador Dali – alguns dos gênios da música, da literatura, da pintura e da escultura e de outras artes.


O Filme Meia Noite Em Paris tem as seguintes notas de acordo com os melhores sites de cinema do Mundo :

  • Nota 7,7 na opinião de quase 328.000 pessoas no site IMDB

  • Nota 8,1 na opinião média da crítica e do público no site Metacritic

  • Notas 8,3 e 9,3 na opinião do público e da crítica respectivamente no site Rotten Tomatoes

  • Nota 9,5 em minha opinião pessoal


A HISTÓRIA POR TRÁS DO FILME, CONTADA PELO RESUMO DO SEU TRAILER :

Paris, uma das mais belas e perfeitas cidades do mundo, em todos os sentidos aparece plasticamente bela e “perfumada” na tela.

Ao fundo, o som do mais puro Jazz, música de extremo bom gosto.

O Rio Sena margeia a Torre Eiffel, bem perto das pontes que lhe dão acesso.

Em voz alta, Gil Pender conversa com sua linda noiva, questionando se poderia existir alguma cidade mais linda e encantadora do que Paris.

Pessoas aparecem circulando e desfilando pela simpática Avenida Champs-Elysées, com suas frondosas árvores integradas a um trânsito nervoso.

Sua noiva, achando exagerada sua admiração por aquela cidade diz que ele está apaixonado por uma fantasia e ele rapidamente retruca: “- estou apaixonado é por você.”

Um cenário que parece ser tirado das telas dos mais renomados pintores franceses de todos os tempos surge na tela do cinema ou da TV.

Eles se abraçam e se beijam ao pôr do sol de Paris.

 PARIS É BELA PELA MANHÃ !

O casal continua conversando, quando a noiva de Gil avista um casal amigo se aproximando, se levanta da mesa e vai cumprimentá-los:

“- O que vocês estão fazendo aqui?” Perguntam eles com semblante surpreso e feliz.

Inez, a noiva explica que seu pai tinha ido à Paris para negócios e ela e o noivo decidiram então pegar uma carona.

O casal recém-chegado se alegra com a notícia e sugere que se encontrem para passarem os próximos dias juntos.

Gil olha para baixo no mesmo instante em que sua noiva se entusiasma com a proposta e interrompendo a fala dela, ele diz que infelizmente eles não terão tempo para isso, pois estão repletos de compromissos.

Inez se volta para trás, olha para o noivo e pergunta :

“-O quê? Que compromissos são esses que não me lembro!”

“PARIS É SIMPLESMENTE CHARMOSA À TARDE”

Os dois casais aparecem juntos, à contra gosto de Gil, numa rápida exercusão ao lado da estátua do Pensador de Rodin.

Gil parece desconfortável e contrariado por estar ali, ao passo que o amigo que se juntou à eles, parece encantado e louco para exibir sua cultura e seu conhecimento.

Ambos discutem sobre quem teria sido a musa inspiradora de Rodin e o amigo ainda discute com a guia turística (lindamente interpretada por Carla Bruni) dizendo que ela estava enganada a respeito do nome da musa do pintor.

Gil e a noiva voltam para o hotel e ele a escuta reclamar :

” -Espero que você não seja tão anti-social amanhã quando reencontrarmos aquele casal.”

PARIS É EXTREMAMENTE LINDA COM SUAS PRAÇAS E SEUS POMBOS

No hotel, Gil e a noiva discutem – ela por estar entusiasmada com a chegada e a presença do casal de amigos e ele por achar incômoda tal situação, exibindo uma pontinha de ciúmes pela maneira como a noiva elogia o amigo.

Gil alfineta que o tal amigo amigo não passa de um pedante pseudo-intelectual, tentando se exibir no berço cultural de Paris.

No dia seguinte, o casal de amigos e Inez aparecem no restaurante do Hotel onde estão hospedados, cada um segurando uma taça de vinho, com o sol se pondo ao lado da Torre Eiffel, como imagem de fundo da cena.

O amigo continua com seu nariz empinado tentando se exibir :

“-Este vinho…um pouco mais tânico do que o da safra de 59… eu prefiro o gosto esfumaçado.”

PARIS É BRILHANTEMENTE ENCANTADORA E CHARMOSA À NOITE!

A Champs-Elysées aparece com sua iluminação noturna sendo enfeitada ao seu final pelo Arco do Triunfo evidenciando a razão pela qual a cidade recebeu o título de cidade Luz do mundo.

O amigo diz que ele e a esposa vão sair para dançar e convidam Gil e sua noiva, provocando arrepios em Gil que se mostra cada vez mais insatisfeito e com aquela invasão indesejada, que o força a ser amistoso para agradar a noiva.

Inez acha boa a ideia e aceita o convite, Gil o rejeita de bate-pronto e deixa a esposa acompanhar o casal dizendo preferir um passeio pela noite parisiense para curtir o ar fresco.

PARIS É MUITO MAIS DO QUE INCRÍVEL DEPOIS DA MEIA NOITE!

Os sinos das igrejas tocam num coro sincronizado, a Torre Eiffel aparece lindamente iluminada e Gil aparece caminhando de boca aberta admirando cada cenário que encontra enquanto caminha solitariamente.

De repente, uma mágica acontece e Gil, sem entender como, se vê transportado para o mesmo local, porém em outra época, ele magicamente cai dentro da Paris dos anos 20 com todo seu glamour e festas animadas, onde ele acaba conhecendo vários dos seus grandes ídolos culturais de todos os tempos.

E é dentro da Paris dos anos 20 que ele vive os melhores momentos de toda a sua vida, ao lado de gente muito famosa que até já morreu, alternando estes momentos com suas brigas na vida real com a noiva por causa do amigo pedante do casal indesejado.

Neste mundo paralelo e mágico, Gil se apaixona por mulheres que foram inspiradoras de vários artistas e vive um dilema sobre encarar a realidade ou se mudar para um mundo de puro sonho e fantasia.

Numa de suas voltas para o mundo real, sua noiva questiona o motivo dele chegar tão tarde todas as noites e ele a convida para conhecer tudo o que o está encantando na velha e querida Paris – num gesto de boa fé, Inez até vai ao encontro sugerido, mas frustrada por esperar pelo nada, volta para o hotel e deixa seu marido curtindo seus delírios pelas ruas.

Os pais da noiva começam a desconfiar do comportamento totalmente alterado de Gil e contratam um detetive para seguí-lo em suas supostas jornadas culturais – o curioso é que o detetive acaba se perdendo e desaparecendo misteriosamente.

Numa noite ao questionar fortemente Gil sobre a razão dele se arrumar tanto e passar tanto perfume para sair, ele diz que está apenas à procura de ideias inspiradoras para seu livro.

A noiva fica furiosa, os dois discutem feio, ele sai do apartamento perdido pelas ruas Paris no meio da noite e encontra algo maravilhoso pelo caminho, assim que começa a chover.


Veja o Trailer, Veja e Reveja várias vezes o filme – o filme tem uma fotografia que lubrifica os olhos, uma trilha sonora que inspira até o fundo da alma. Vale muito a pena – eu recomendo.


EU DESEJO QUE VOCÊ FAÇA

UM ÓTIMO FIM DE SEMANA !


Sobre Mauro Condé [ MaLuCo:) ] 2702 Articles
Nascido em Belo Horizonte, Mauro Lúcio Condé carrega uma bagagem profissional de muito prestígio. De simples operário, Condé chegou à diretoria da General Eletric e também passou por grandes empresas como EDS e GEVISA, mas consagrou de vez sua carreira no Citibank, do qual foi Diretor Executivo de Qualidade e depois como executivo do Banco Itaú e Telefônica. As mais de quatro décadas de experiências levaram Mauro Condé a abrir sua própria empresa de consultoria e ministrar palestras no Brasil e no mundo.
Contato: Twitter

2 Comentários em DICA DE FILME DA SEMANA – O MELHOR FILME QUE EU JÁ VI PARA AUMENTAR O SEU ARSENAL DE CULTURA E ELEGÂNCIA – UM ESPETÁCULO INCRÍVEL DE BOM GOSTO DO INÍCIO AO FIM:

  1. eu nunca sei se estou comentando no lugar certo, mas o filme do Woody Allen é muito legal, principalmente por mostrar uma Paris linda e que eu nunca conhecerei “ao vivo e a cores”. E a ideia de voltar no tempo sempre é tentadora.

    • Caro Zé! Você está fazendo o comentário no lugar certo sim! Muito obrigado pelo seu comentário, concordo com vc = este filme do Woody Allen é excelente mesmo. Ele mostra Paris tão bela quanto ela é e eu aprendi uma coisa na vida – “nunca diga : dessa água não beberei, pois um dia você pode beber água Evian direto da fonte! grande abraço e muito obrigado

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.


*